"Não é possível refazer este país, democratiza-lo, humaniza-lo, torna-lo sério, com adolescentes bricando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se uma educação sozinha não transforma uma sociedade, sem ela a sociedade tão pouco muda." Paulo Freire

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Alfabetização X Letramento

1 – Alfabetização: trabalho de aprender a ler e a escrever a língua, segundo Mary Kato.

2 – Letramento: vai além do sistema de escrita, a criança aprende a interpretar os textos e seu uso social.

Pelo construtivismo o caminho ao letramento é mais curto, pois começa o aprendizado pelo uso social da língua e depois passa-se a entender o código.

3 – Concepções de linguagem

• a língua é dinâmica, muda constantemente (cada região tem um sotaque diferente) influência dos imigrantes.
• A língua falada muda, a escrita não.
• A língua se constrói na interação (comunicação) entre sujeitos (crianças ativas).
• A língua se adequa ao uso social, e ao ambiente (a linguagem usada na entrevista de um emprego e diferente da usada na feira, por exemplo).
A educação tem que acontecer em momentos reais de interação, tornando o sujeito ativo da educação.

Dessa maneira a oralidade é prioridade na Educação Infantil porque é por meio dela que a criança construirá seus conhecimentos, pela interação e socialização com o outro, partilhando idéias, sugestões e criticas, por meio dela iniciará seu letramento dando sentido a alfabetização e aos conhecimentos adquiridos.

É lamentável que no Ensino Fundamental não seja tão praticado, pois a oralidade dá oportunidade do aluno levantar hipóteses, socializar suas idéias, avançar na construção dessas hipóteses, expressar seus desejos, seus sentimentos, suas vontades, suas curiosidades, seus avanços e suas dificuldades.

A oralidade na Educação Infantil ou no Ensino Fundamental propicia ao aluno ser investigativo, ser sujeito da sua aprendizagem

Nenhum comentário: