"Não é possível refazer este país, democratiza-lo, humaniza-lo, torna-lo sério, com adolescentes bricando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se uma educação sozinha não transforma uma sociedade, sem ela a sociedade tão pouco muda." Paulo Freire

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Contagem oral


Contagem Oral



Faixa etária: 4-5 anos

Justificativa:
A numeração oral ocupa um importante papel nas primeiras análises que as crianças fazem do sistema de numeração. É possível que já possam perceber algumas regularidades quando realizam uma contagem ou recitam os números. Além disso, contar é a única estratégia de cálculo possível até que as crianças comecem a operar. O professor é quem deve atuar como modelo, como usuário competente da contagem oral dos números: contar oralmente quantos alunos vieram à escola, por exemplo, ou a quantidade de cadeiras necessárias para que todos se acomodem são situações cotidianas que podem ser exploradas.

Objetivos:
- Utilizar a contagem oral em brincadeiras e situações nas quais as crianças reconheçam a sua necessidade; - Usar de modo adequado a oralidade em situações de contagem de objetos; - Continuar a contagem a partir de um número diferente de um; - Reconhecer o sucessor e o antecessor de um determinado número. Conteúdo: - Realizar rodas de músicas ou parlendas, nas quais seja possível trabalhar a seqüência numérica. - Fazer uso da contagem oral em brincadeiras. Interdisciplinaridade possíveis: Linguagem, Arte, Movimento Proposta de

Atividades:


1 – Mamãe posso ir?
Desenvolvimento: escolher uma criança para ser a “mãe”, posicionando-a a uma certa distância das outras crianças. As crianças perguntam “mamãe posso ir?” A criança que esta no papel de mãe responde que sim e as outras perguntam “quantos passos?” A mãe decide o número de passos que cada criança vai dar. Ganha aquela que alcançar primeiro à mãe.

2 – Amarelinha
Desenvolvimento: desenhar com giz uma amarelinha no chão, numerando-a de um a dez. assim, será mais uma oportunidade da criança visualizar esses números. É necessário providenciar um saquinho de areia ou algo similar para a brincadeira.

3-Onde está?
Desenvolvimento: providenciar três caixas e identificá-las com cores diferentes. Serão escondidos na classe objetos nessas três cores. As crianças deverão procurar os objetos com as respectivas cores. Os objetos serão contados ao final da brincadeira.

4 – Parlenda:
Serra, serra, serrador / Quantas tábuas já serrou? / já serrei 10: 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10! Desenvolvimento: Organizar as crianças em roda e sentadas para apresentar a parlenda. Variação: ampliam-se os intervalos a serem contados, ou pedir que as crianças digam até quando vão contar.

5 – Pular corda:
Cantiga: Com quem você / pretende se casar / loiro, moreno / careca, cabeludo / polícia, ladrão / soldado, capitão / um, dois, três, quatro... Desenvolvimento: posiciona-se duas crianças, uma de cada lado, enquanto uma terceira pula. Esta atividade é uma oportunidade de as crianças realizarem a contagem oral.

6 - Parlenda:
A galinha do vizinho / bota ovo amarelinho / bota um / bota dois... / ...bota dez!

7 – Música:
Um, dois, três indiozinhos / quatro, cinco, seis indiozinhos / sete, oito, nove indiozinhos / dez num pequeno bote. / Iam navegando pelo rio abaixo / quando o jacaré se aproximou / e o bote do dez indiozinhos / quase virou / mas não virou, só balançou. Desenvolvimento: Organizar as crianças em roda para cantarem a música reproduzindo os gestos feitos pelo professor, usando os dedos para acompanhar a contagem. Também é possível pedir que as crianças pintem ou desenhem um número de indiozinhos estipulado pelo professor.

ob. projeto desenvolvido para um trabalho na faculdade

Nenhum comentário: