"Não é possível refazer este país, democratiza-lo, humaniza-lo, torna-lo sério, com adolescentes bricando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se uma educação sozinha não transforma uma sociedade, sem ela a sociedade tão pouco muda." Paulo Freire

domingo, 29 de março de 2009

A Música no contexto da Educação Infantil


“A música no contexto da educação infantil vem, ao longo de sua história, atendendo a vários objetivos, alguns dos quais alheios às questões próprias dessa linguagem. Tem sido, em muitos casos, suporte para atender a vários propósitos, como a formação de hábitos, atitudes e comportamentos: lavar as mãos antes do lanche, escovar os dentes, respeitar o farol etc; a realização de comemorações relativas ao calendário de eventos do ano letivo simbolizados no dia da árvore, dia do soldado, dia das mães etc.; a memorização de conteúdos relativos a números, letras do alfabeto, cores etc., traduzidos em canções. Essas canções costumam ser acompanhadas por gestos corporais, imitados pelas crianças de forma mecânica e estereotipada...

Ainda que esses procedimentos venham sendo repensados, muitas instituições encontram dificuldades para integrar a linguagem musical ao contexto educacional.

Constata-se uma defasagem entre o trabalho realizado na área de Música e nas demais áreas do conhecimento, evidenciada pela realização de ativ

idades de reprodução e imitação em detrimento de atividades voltadas à criação e à elaboração musical. Nesses contextos, a música é tratada como se fosse um produto pronto, que se aprende a reproduzir, e não uma linguagem cujo conhecimento se constrói.”

RCNEI – Volume 3 – página 45 e 47


A música é uma linguagem presente no cotidiano de modo intenso. Chega-nos, seja através do rádio, da TV, em gravações ou por meio de brincadeiras e manifestações espontâneas.

As crianças tomam conhecimento dessas músicas pela intervenção do professor ou familiares, nas situações de convívio social.

Na escola, a linguagem musical, tendo estrutura e características próprias, deve ser explorada quanto a sua: PRODUÇÃO, APRECIAÇÃO E REFLEXÃO, que, segundo os RCNEI:

produção — centrada na experimentação e na imitação, tendo como produtos musicais a interpretação, a improvisação e a composição;

apreciação — percepção tanto dos sons e silêncios quanto das estruturas e organizações musicais, buscando desenvolver, por meio do prazer da escuta, a capacidade de observação, análise e reconhecimento;

reflexão — sobre questões referentes à organização, criação, produtos e produtores musicais.


Seguindo esta linha de raciocínio e considerando o aspecto interdisciplinar do trabalho musical com os outros eixos - já que a música mantém contato estreito e direto com as demais linguagens (movimento, expressão cênica, artes visuais, oral, escrita, etc) - penso ser viável a realização de projetos integrados em todas as turmas de crianças de 0 a 5 anos.

Você acredita, assim como eu, que a música seja um meio de comunicação e expressão acessível aos bebês e crianças, inclusive aquelas que apresentem necessidades especiais, ajudando-as no desenvolvimento da expressão, do equilíbrio, da auto-estima e auto-conhecimento, além de ser poderoso meio de integração social?


Quer discutir??? Aguardo comentários...



Ps. Segue abaixo postagens com planos de aula, onde os eixos de trabalhos são articulados por intermédio da música. Apenas escrevi o plano de aula: Vitamina, os demais são de colegas.



Nenhum comentário: